quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Ficção Científica, Direito e Ética




É muito provável que, numa primeira análise, o primeiro elemento do título que escolhemos para o presente artigo pareça praticamente irreconciliável com os demais, descontada que seja qualquer tentativa fantasiosa de criar uma ponte discursiva entre realidades só artificialmente relacionáveis.

Esperamos todavia que, chegados à última linha, possamos já ter adiantado pelo menos um vislumbre da efectiva e frutuosa ligação entre o género literário comummente denominado ficção científica e aquelas duas áreas do conhecimento e da reflexão humanas.

Tentaremos, numa primeira abordagem, uma aproximação a uma definição do que seja essa ficção científica cujas virtualidades pretendemos pôr a descoberto. Trata-se, como depressa compreenderemos, de uma tarefa mais complexa do que a priori se poderia pensar. De seguida, tentaremos revelar aquelas específicas características deste género literário que o transformam num meio privilegiado para a abordagem das
grandes questões do Homem, em geral, e dos problemas legais e éticos, em particular.

Veremos, nomeadamente, como a própria base, a matéria-prima de que parte a ficção científica atinge o cerne de tais questões e nos conduz a uma reflexão ainda mais profunda e mais próxima da essência quer da ética, quer do Direito, do que aquela que qualquer problema concreto, real, das nossas quotidianas vivências nos poderia proporcionar.

Partiremos daí para uma exploração de alguns dos contributos valiosos que a este nível de pensamento a ficção científica tem oferecido ao longo das últimas décadas. Adiantaremos para tal alguns dos temas recorrentes da ficção científica, temas esses partilhados pelos mais divulgados autores do género e pelos mais autorizados pensadores do campo da filosofia, da religião, da política ou da sociologia, sem deixar de ilustrar as considerações entretanto tecidas com exemplos concretos de obras mais ou menos largamente divulgadas entre o público.



Índice
Introdução
I - Uma aproximação à própria noção de ficção científica 
II - A ficção científica como meio privilegiado para abordagem das questões filosóficas em geral e dos problemas legais e éticos em particular
III - Alguns dos temas mais frequentemente explorados pelos autores
IV - Ficção Científica e Política. A ficção científica como futurologia?
Conclusão
Bibliografia


Ficção Científica, Direito e Ética - Sandra Mónica Martins Reis Pinto [ Download ]