domingo, 23 de março de 2008

ARTHUR CHARLES CLARKE

Arthur Charles Clarke (16 de Dezembro, 1917 - 18 de Março de 2008)

O maior talento de Arthur Charles Clarke consistia em transitar entre a arte e a ciência com igual clareza, inteligência e paixão.

Seus trabalhos, de descobertas científicas a literatura de ficção, da aplicação técnica ao entretenimento, tiveram um impacto direto na vida das pessoas, no presente e nas futuras gerações.

Arthur C.Clarke, filho de uma família de fazendeiros ingleses, nasceu na cidade costeira de Minehead em Somerset, Inglaterra. Depois de completar estudos básicos em sua cidade, Clarke se mudou para Londres em 1936 e desde bem cedo, demonstrava interesse em ciências espaciais, se filiando a British Interplanetary Society (BIS) para a qual passou a contribuir com artigos, antes mesmo de escrever ficção científica.

Como ocorreu com muitos jovens de sua idade naquela época, a Segunda Guerra Mundial interrompeu esta rotina e em 1939 ele se alistou na RAF e pouco depois se tornaria oficial encarregado do primeiro equipamento de radar do tipo talk-down, ainda em fase experimental. Após a guerra, Clarke retornou para Londres e para a BIS, tornando-se seu presidente de 1947 a 1950 e novamente em 1953.

Em 1945, a revista inglesa ‘Wireless World’ publicou um de seus ensaios técnicos ‘extra-terrestrial Relays’ onde pela primeira vez se propunha os princípios de um satélite de comunicação em órbita geoestacionária – que só se tornaria realidade 25 anos depois. Clarke trabalhou junto a cientistas e engenheiros na evolução nesta sua idéia, nos EUA, além de ajudar a desenvolver sistemas de lançamento e orientação de espaçonaves e na mesma época, discursou nas Nações Unidas quando das deliberações do uso pacífico do espaço.

Ao mesmo tempo que colaborava em assuntos estritamente científicos, Clarke exercitava sua veia de escritor. Sua primeira história vendida, ‘Rescue Party’ foi publicada na revista ‘Astounding Science’ (Maio 1946). Era o começo de uma carreira prolífica e brilhante, com mais de 70 títulos de ficção que lhe deram os prêmios Nebula em 1972, 1974 e 1979 e o Hugo em 1974 e 1980, além de ter recebido o título de Grande Mestre dos Escritores de Ficção Científica da América em 1986.

Um exemplo da sua genialidade literária aliada ao seu caráter visonário-tecnológico, está em ‘O Vento Solar’, uma coletânea de todos seus contos escritos na década de 60 e que consegue abarcar temas como o laser, o código genético, as primeiras sondagens de Marte e Vênus com robôs, o descobrimento dos pulsars e o desembarque na Lua.

Se Asimov tinha suas leis robóticas, Arthur elaborou as Leis de Clarke e que dizem assim:

1. Quando um cientista reconhecido e experiente, diz que algo é possível, ele está provavelmente certo. Quando ele diz que algo é impossível, ele está muito provavelmente errado.

2. O único jeito para desvendar o limite do possível é ir além dele, através do impossível.

3. Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível da mágica.

Em 1964 começou a trabalhar com o já famoso produtor de cinema Stanley Kubrick, naquele que seria seu maior sucesso de público e que o faria conhecido mundialmente. Quatro anos depois ele dividiria a indicação ao Oscar com Kubrick pela versão para cinema de ‘2001: A Space Odyssey’.

Em 1985 Clarke publicaria a sequência ‘2010: Odyssey Two’ e com o diretor Peter Hyams trabalharia para a versão para o cinema. O trabalho só foi possível pela utilização de um computador Kaipro e um modem, ligando Clarke em Sri Lanka com Peter em Los Angeles.

Na televisão, participou junto de Walter Cronkite e Wally Schirra da cobertura da CBS das Missões Apolo 12 e 15. Não só escreveu para diversas séries de televisão como teve uma série própria ‘Arthur C.Clarke Mysterious World’ em 1981.

Seu trabalho lhe rendeu inúmeros prêmios e homenagens.

A órbita geo-estacionária, 36 mil quilômetros acima da linha Equador, foi oficialmente batizada pela International Astronomical Union como sendo a Órbita Clarke.

Além disso, seu nome batizou um asteróide, 4923 Clarke, e uma espécie de dinossauro, Serendipaceratops arthurcclarkei, descoberto em Inverloch na Austrália. Mas a maior das honras lhe coube quando a Rainha da Inglaterra o agraciou com o título de nobreza, em cerimônia que ocorreu em Sri Lanka, conduzida pelo Príncipe Charles.

Sir Arthur morava em Colombo, Sri Lanka (ex-Ceilão) desde 1956, e era um entusiasta, praticante e incentivador da exploração submarina, tendo escrito diversos livros voltados para esta sua paixão.

Em 2004 sobreviveu ao terrível tsunami que praticamente destruiu toda a região, porém perdeu sua escola de mergulho em Hikkaduwa.

Nos seus últimos anos de vida, Arthur estava preso a uma cadeira de rodas, devido a complicações da poliomielite, que se agravara bastante.

Arthur Charles Clarke também ficou famoso pelas suas frases e em uma delas dizia:

“Se nós tivermos aprendido algo da história das invenções e descobertas, é que, à longo prazo – e muitas vezes a curto prazo – as profecias mais audaciosas parecem ridiculamente conservadoras.”

Site oficial:
http://www.clarkefoundation.org/

O projeto 2001:
http://www.2001exhibit.org/

Bibliografia e dados pessoais:
http://www.arthurcclarke.net/

Coleção de livros de Arthur C.Clarke em português [ Download ]

2001: Uma odisséia no espaço
2010: Odisséia Dois
2061: Odisséia Três
3001: A Odisséia Final
A cidade e as estrelas
A estrela
A luz das trevas
A sonda do tempo
A última ordem
Alvorada de Saturno
As canções da terra distante
As fontes do paraíso
Contos da taberna
Crime em Marte
Dinossauros
Massa crítica
Não haverá outra manhã
O fim da infância
O outro lado do céu
O martelo de Deus
O vento solar
Os náufragos de Selene
Rama I
Rama II
Sentinela
Terra Imperial
Um processador de textos acionado por vapor

[ Download ]