quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Construção e destruição dos estereótipos de gênero nas séries televisivas de Ficção Científica no século XXI


Existe um acordo geral de que a primeira obra literária de Ficção Científica foi escrita
por uma mulher.
Falamos de Frankenstein, de Mary Shelly, publicada em 1818.
A qualificação como Ficção Científica vem do fato de se tratar de acontecimentos verossímeis embora irreais; verossímeis devido aos conhecimentos científicos e tecnológicos do momento, ou devido à futura projeção científica da humanidade. Essa é uma diferença fundamental com a literatura fantástica nas suas diversas manifestações, pois a literatura fantástica, a diferença da Ficção Científica, mostra mundos impossíveis, irreais, fruto das elaborações onde mitos, lendas e mágica se misturam. Assim em Frankenstein, pela primeira vez, os conhecimentos científicos de uma época servem para fazer crível o fantástico: o monstro é uma criação humana, não surge, como o caso de Drácula, do mito ou da lenda.


Construção e destruição dos estereótipos de gênero nas séries televisivas de Ficção Científica no século XXI - Dra. Cristina Amich Elías [ Download ]