terça-feira, 6 de janeiro de 2009

A Ficção Científica está morrendo? - Stephen Baxter


É verdade que muitos dos velhos sonhos da Ficção Científica já se realizaram ou estão ultrapassados.
A sensação que temos é que vivemos um tempo de mudanças aceleradas. Mas a FC não se trata - raramente - de predizer o futuro, mas de falar sobre nossa ansiedade e sonhos do tempo em que foram escritas.

Na época de HG Wells, a teoria da evolução das espécies causou um grande choque na sociedade, então o clássico de 1895, ‘The time machine’ (A máquina do tempo), não se trata realmente de predizer o ano de 802.701 mas uma meditação angustiante sobre as implicações do darwinismo sobre a humanidade.


Conforme a ciência avança, uma imensa variedade de futuros são gerados pela FC.

Durante as décadas de 50 e 60, tivemos as histórias sobre holocausto nuclear e suas conseqüências, como ‘A canticle for Liebowitz’ de Walter Miller.

Os anos 80 assistiram uma explosão de poder computacional, que levou a surgir o ciberpunk, como Neuromancer de William Gibson.

Hoje nós temos as possibilidades de um futuro trans-humano unindo informação tecnológica e biotecnologia - basta ver livros como ‘The secret life’ de Paul McAuley.
Temos também as questões da mudança do clima, exploradas pela série ‘Science in the Capitol’ de Kim Stanley Robinson e no meu livro ‘Flood’.

FC é uma maneira de se lidar com mudanças, ou aprender sobre isso, como internalizar isso - não tanto como a profecia está para a terapia de massas. É claro que nos dias de hoje podemos pegar um livro como ‘The Flood’ de Maggie Gee, um livro sobre desastres em um futuro próximo, publicado sem nenhuma referencia ao gênero FC. Não creio que esteja errado.
Na verdade, isso mostra o sucesso da literatura de sci-fi e de seus métodos.
A FC já foi assimilada, mas ainda continua lá, servindo para a mesma função.

Nos anos que estão por vir, quem sabe ficaremos sem petróleo, água ou ar. Sempre haverá material o bastante para a FC e a necessidade dela, no entanto, ela se encontrará rotulada como tal nas livrarias.

O último livro de Stephen Baxter chama-se ‘Flood’.

Site oficial de Stephen Baxter