quinta-feira, 21 de maio de 2009

Uma introdução ao estudo da FC no cinema brasileiro

“A Ficção Científica no Brasil: Um planeta quase desabitado.”

Esse é o título de um artigo do crítico e escritor Fausto Cunha1, referente à literatura de ficção científica, mas que poderia ser aplicado também à análise do gênero no cinema brasileiro.

Na Europa, nos EUA e no Japão, o cinema de ficção científica encontra terreno fértil.
Sua relevância estética e econômica é evidente, desde o período mudo, sendo até hoje freqüente objeto de estudo. No Brasil, entretanto, a situação é um pouco diferente, uma vez que a ficção
científica cinematográfica tem sido frequentemente encarada como algo “fora de lugar”.
Afinal, podemos falar de ficção científica no cinema brasileiro?

Esta tese traz uma resposta afirmativa a essa pergunta, muito embora tenhamos de levar em consideração algumas peculiaridades.

Ao contrário dos EUA e Europa, o Brasil não tem grande tradição no estudo da ficção científica.

Apesar disso, escritores brasileiros de ficção científica têm obtido reconhecimento internacional, e o cinema brasileiro tem tido experiências na produção de filmes do gênero.
Por exemplo, manifestações da ficção científica no cinema brasileiro podem ser detectadas em comédias ou chanchadas dos anos 1940/50, distopias ecológicas dos anos 1970/80 e na produção mais recente, da retomada aos dias atuais.

Mas por que o cinema brasileiro de ficção científica não tem tido maior desenvolvimento e visibilidade?

Esta e outras perguntas serão discutidas neste trabalho, com base em bibliografia geral e
especializada, análise fílmica e entrevistas com autores, cineastas e pesquisadores.

Em suma, o objetivo desta tese é levantar um novo debate mais detido acerca da ficção
científica no cinema brasileiro e demais cinematografias que não a hollywoodiana, apresentando um panorama que busca melhor compreender o passado, presente e futuro de um gênero que insiste em sobreviver numa atmosfera muitas vezes hostil e rarefeita.


Sumário
Introdução
1. Cinema de Ficção Científica: métodos de abordagem e definição
2. Esboço para uma história do cinema internacional de ficção científica
3. Panorama da ficção científica no cinema brasileiro de longa-metragem
4. Panorama da ficção científica no cinema brasileiro de curta e média-metragem
5. Cinema de FC no México, Argentina e Leste Europeu: cotejos com o Brasil
6. Bifurcação
7. Ficção científica no cinema brasileiro e Realismo Mágico: um rápido comentário
8. O paradigma tecnológico e os supostos obstáculos à FC no cinema brasileiro
9. O papel de uma ideologia: o Imperialismo enquanto fator de estímulo à FC
10. Afinidade do Brasil com o imaginário ou iconografia da FC
11. Conclusões preliminares
Bibliografia

Anexos
a. Breve histórico da literatura de ficção científica internacional
b. Breve histórico da literatura de ficção científica brasileira
c. Diferenças básicas entre ficção, ciência e ficção científica
d. Definições de ficção científica
e. Subdivisões da FC segundo L. David Allen
f. Do novum à “lógica materialista”, passando pelo silogismo aristotélico
g. A questão da verossimilhança na FC
h. As vocações da ficção científica: realismo x fantástico
i. Diferenças entre FC e Horror: uma nota
j. Diferenças entre a FC literária e a cinematográfica
l. Lista de filmes brasileiros citados


Uma introdução ao estudo da FC no cinema brasileiro - Alfredo Suppia [ Download ]

Alfredo Luiz Paes de Oliveira Suppia

Limite de Alerta! Ficção Científica em Atmosfera Rarefeita:
Tese apresentada ao Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas, para obtenção do título de Doutor em Multimeios - UNICAMP -Campinas 2007