segunda-feira, 16 de maio de 2011

Monsters



Assim como Splice, Monsters passou pelas nossas videolocadoras (ainda existem?) e salas de cinema, sem despertar a merecida atenção.

Na onda de filmes de baixo orçamento, mas de produção caprichada, o primeiro longa do diretor Gareth Edwards (com locações em Belize, Guatemala e México) não conta com nenhuma estrela no reduzido elenco, mas vem com um roteiro delicado e de condução idem, que irá decepcionar aquele desavisado que espera assistir outro filme pegajoso de alienígenas gosmentos e mocinhas histéricas.

A história é surpreendentemente simples.




Seis anos atrás, a NASA descobriu vida alienígena em nosso sistema solar. Uma sonda foi lançada para coletar amostras, mas ao voltar caiu na América Central. Logo novas formas de vida começaram a surgir. Em um esforço para conter a contaminação, metade do México foi colocado em quarentena, como uma zona infectada. Militares americanos e mexicanos lutam para tentar conter as criaturas.


A história começa quando um jornalista, cínico e sem esperança, concorda em escoltar uma jovem turista (prestes a embarcar em um casamento sem paixão) através da zona infectada no México até a segurança da fronteira dos EUA.


Lá pela metade do filme, fica claro que o filme não é sobre monstros (que igual a Cloverfield raramente são vistos) mas sobre nós, seres humanos, e que os monstros (eles existem) na verdade são outros.

Site oficial.