sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Keloid


"Quelóides são cicatrizes que se projetam além da superfície da pele. Quando a pele é ferida, as células se multiplicam para preencher o espaço que ficou vazio devido à morte celular. Quando as células continuam se reproduzindo, mesmo após o preenchimento deste espaço, o resultado é uma cicatriz hipertrófica ou um quelóide. A cicatriz hipertrófica é uma area lisa, espessa que se restringe ao local da lesão. Esta se reduz após 1 ano ou mais. Um quelóide, porém, pode se extender muito além do sítio da lesão. Os quelóides não regridem espontaneamente.(derme.org)"

Keloid, o curta de computação gráfica feito pela Big Lazy Robot VFX, foi baseado nos escritos de Eliezer S. Yudkowsky, um estudioso sobre IA e singularidade.

Sinopse: Em um futuro próximo, o homem terá criado máquinas que são capazes de reescrever sua programação para aprimorar (evoluir) a si mesmos, e, porque não, dispensar seus programadores.

Esta idéia soou um pouco vaga para alguns críticos, então um experimento precisou ser feito: manter a inteligência artificial contida em um local onde não poderia sair exceto por uma condição: Convencer um guardião humano de que é humana e assim deixá-la sair.

Os seres humanos não estão seguros? Poderemos jogar contra nossa melhor criação a fim de garantir a própria sobrevivência? O homem seria humilde o suficiente para aceitar que foi substituído, e procurar curar de uma doença em seus próprios genes? Como capturar uma força que nós voluntariamente libertamos? E se o pior inimigo da humanidade fosse o ser humano?

Em um futuro próximo, a raça humana deixará de ser a raça dominante.

Em um futuro próximo, vamos aprender a temer o que está por vir.