domingo, 18 de abril de 2010

A família Dick - Entrevista com Tessa DIck



Tessa B. Dick, escritora e quinta esposa do escritor Philip K. Dick.


Pergunta: Qual era o comportamento de Philip K. Dick quando estava escrevendo?

Tessa: Passava três dias seguidos escrevendo centenas de páginas. Eu não conseguia dormir também, a cada dez minutos ele perguntava como se soletrava alguma coisa, ou pedia café, ou comida. Parava cerca de dez minutos e escrevia um pouco mais.

Pergunta: Ele tinha uma sala separada para onde ia escrever?

Tessa: Bem, nós vivíamos em um apartamento de dois quartos, o que não deixa muito espaço, mas tivemos que nos mudar, porque as pessoas abaixo de nós tinham que levantar cedo e faziamos muito barulho à noite. Então nos mudamos para um apartamento sobre uma garagem. Tivemos Chris, que gritava constantemente. Ele era 'agitado"... Chris se tornou um personagem em um dos romances.

Pergunta: Qual?

Tessa: Na verdade, a filha de Phil, Laura, e Chris estavam em 'A Transmigração de Timothy Archer'. Chris era o personagem Manny... Emanuel. Emanuel significa algo como "o Senhor vem" e Christopher significa "portador de Cristo". Laura era o personagem Angel, e na novela, Manny e Angel se uniam para salvar o mundo.

Pergunta: Mais alguma coisa que você lembra sobre seu processo de escrita?

Tessa: Logo depois de 'O Homem do Castelo Alto' ele escreveu seis romances em seis semanas, porque ele sabia que iria receber o prêmio Hugo e queria ganhar dinheiro rápido, porque estava quebrado. Quando estava comigo, Dick escreveu 'A Scanner Darkly' em menos de duas semanas. Mas passou três anos reescrevendo-o. Eu fiquei cheia daquilo. A última vez que a editora enviou provas para fazermos as correções apontadas, eu me recusei a fazê-lo. Sempre que eu queria mudar algo além da ortografia, tínhamos uma grande discussão, então eu percebi que era melhor deixa-lo sozinho.

Pergunta: Então você estava envolvida em seu processo de escrita?

Tessa: Em 'A Scanner Darkly' sim.

Pergunta: Havia livros que ele particularmente se importava, mais do que outros?

Tessa: Ele achava que 'O Homem do Castelo Alto' era sua obra prima, mas ele esperava escrever outro.

Pergunta: Seu comportamento quanto à escrita, teve qualquer alteração ao final da sua vida?

Tessa: Sua escrita era a única presença constante em sua vida. Ele queria ser um músico quando era jovem, mas tinha mais vontade do que talento, por isso ele se tornou um escritor. É onde ele tinha talento

Pergunta: O que ele tocava?

Tessa: Triângulo, com Harry Parch. Ele batia no triângulo (risos). Parch foi um músico de vanguarda do norte da Califórnia. Ele fazia seus próprios instrumentos ... Phil trabalhou na loja de discos Tower Records em San Francisco por um longo tempo, e queriam promovê-lo para gerente, mas a sua agorafobia foi piorando. Ele não gostava de ficar perto das pessoas, e ele era um vendedor. Foi assim que conheceu sua ex-esposa, Cleo. Eram ambos estudantes da Universidade Berkeley e ela comprava discos lá.

Pergunta: O que ele estudou em Berkeley?

Tessa: Phil estudou filosofia por um semestre, e em seguida saiu, porque eles tinham Treinamento Militar obrigatório (Reserve Officers' Training Corps) por conta da guerra da Coréia estar acontecendo.

Chris: Conte para ela sobre a vassoura.

Tessa: No treinamento eles tinham que marchar com seus rifles M-1. Mas ele marchava com uma vassoura porque não queria carregar uma arma, e disseram que ele não poderia fazer isso. Bem, na semana seguinte eles estavam aprendendo a desmontar e montar o M-1, mas de alguma forma, acidentalmente Phil deixou cair o pino de disparo e inutilizou a arma. Assim, marchou com a arma quebrada, e tirou uma nota 'F' em Treinamento Militar, o que o mandou para fora da universidade. Ele nunca contou a mesma história da mesma forma duas vezes, mas alguns detalhes permanecem os mesmos. Enfim, ele saiu da faculdade porque ele simplesmente não conseguia lidar com a coisa militar. Depois disso ia se alistar, pois já não tinha a sua isenção por estar na faculdade. Foi quando ele descobriu sobre sua pressão arterial elevada. Eles não iriam aceitá-lo. Ele ia se juntar ao exército e lutar na guerra, porque era melhor do que ser desertor, mas ele não faria o treinamento para ser um tenente medroso escondendo-se na tenda. Ele era contra a guerra, mas se era para fazer isso, ele ia ser bucha de canhão, não um oficial.

Tessa (para Chris): Você se lembra das moedinhas na casa de (K W ) Jeeter? "

Chris: Nós estávamos arremessando centavos, competindo, e ganhei cerca de oito ou nove moedas, e por alguma razão, meu pai e eu saímos. Estávamos sentados na escada, e um mendigo se aproximou, perguntando se nós poderíamos lhe dar uma moeda para comprar uma xícara de café. Enfiei a mão no meu bolso e dei para o cara todas que eu tinha ganho. Meu pai ficou muito orgulhoso de mim, porque ele era assim, ele realmente se preocupava com as pessoas, e até sentia pena de alguns deles. Acho que ele ficou realmente surpreso, que um menino de sete anos de idade fosse desistir de seu dinheiro... mas a minha lembrança favorita foi quando ele me levou para comprar brinquedos da série Star Wars.
Foi muito difícil fazer com que ele fizesse isso... nós compramos um "Millennium Falcon".

Isso foi sensacional para mim, porque ele nunca foi comigo em qualquer lugar, nunca saiu de sua casa comigo antes. Eu não percebia a importância disso, mas quanto mais velho fico, menos eu quero ir para qualquer lugar. Vivemos nas montanhas, numa estrada de terra, no meio do nada.

Ranea: Sim, eu tive que implorar para ele me levar para lugares como a Disneylândia.

Tessa: Phil me levou para a Disneylândia uma vez e conseguimos permanecer por cerca de duas horas até que ele saiu para o estacionamento e sentou no capô do carro. Ele não podia entrar no carro e ir para casa porque nossos amigos haviam nos levado lá, então apenas esperou. Ele não aguentava multidões.

Chris: Ele não gostava de dirigir também. Eu me lembro que ele teve um carro, por cerca de três ou quatro anos antes de falecer, e que só tinha cerca de 900 km rodados.

Tessa: Durante vários anos não teve carro. Ele só vivia em lugares onde podia chegar à pé em toda parte...

Chris: Estou muito animado com o filme "Minority Report" de Steven Spielberg e Tom Cruise. Spielberg não erra. Quanto a "Total Recall" e "Blade Runner", ambos foram muito bem. "Screamers" foi de baixo orçamento. Gostei da história. Eu pensei que seria muito bom, mas não gostei por ser de baixo orçamento, porque significa que o filme não seria tão bom, e acho que isso prejudicou sua imagem. Mas eu acho que "Minority Report" vai realmente ajudar a torná-lo mais popular. O que eu realmente gosto é que os filmes atingem um grande número de pessoas, e isso os leva para desfrutar de seus livros, porque as pessoas não lêem muito ele...

Tessa: Quando "Blade Runner" recebeu uma classificação 'R'(tema adulto), a Mattel interrompeu a fabricação de todos os brinquedos da linha "Blade Runner", porque ninguém vende brinquedos para crianças a partir de um filme de classificação adulta. É claro que hoje não seria problema, mas na época foi. Mas um dia, eu os vi na loja (Mervyns) pela metade do preço, e comprei todos que consegui.

Pergunta: Quando foi isso?

Tessa: Logo após o filme sair, e Phil tinha acabado de morrer.

Annie: Então ele estava vivo durante as filmagens?

Tessa: Ele foi ver o copião, que não era bom, e viu após o remake, que era muito melhor.

Pergunta: Como ele se sentiu sobre o filme em geral?

Tessa: Bem, ele estava muito feliz com ele, depois que David Peoples, um médico de scripts, deu um jeito no roteiro. O principal foi que Peoples introduziu os pequenos animais de origami, porque o livro de Phil trata principalmente de animais, e que vamos perdê-los porque nós não cuidamos deles. O roteiro original era apenas um monte de robôs e pessoas atirando. Mas era isso que as pessoas queriam ver!

Chris: Claro, o artista se interessa mais com a história... Era interessante como eles estavam fazendo animais-robôs porque ainda tinham o desejo de ter animais de estimação, mesmo quando não poderiam ter a coisa real. O que foi interessante também foi que todas as raças eram misturadas, as pessoas estavam falando idiomas misturados, as cidades estavam lotadas, e o crime imperava. Sua ficção científica é tão boa, eu acho, porque não é selvagem, inimaginável, tipo uma fantasia sobre coisas que nunca acontecerão. Essas coisas realmente estão acontecendo, ou vão acontecer. Volte à década de 50, quando o livro foi escrito, o que parecia uma fantasia agora é uma realidade.

Tessa: Na caverna de Platão você está sentado e amarrado, e não pode mover-se. Você não pode sequer virar a cabeça. Atrás de você, as pessoas estão carregando objetos, passando pela abertura da caverna, de modo que o sol projeta a sombra dos objetos na parede da caverna. Tudo que você vê é a sombra, assim você acredita que eles são objetos reais. Se você fosse arrastado para fora, no primeiro momento você ficaria cego pela luz do sol, porque você cresceu na escuridão da caverna. Quando seus olhos se acostumassem à luz do sol, você começa a ver o mundo real, e você acreditaria ser uma alucinação. Para você, as sombras são "reais", mas os objetos reais não são "reais". Nos romances de Phil, muitas vezes o que parece ser real acaba por ser uma alucinação, enquanto as alucinações aparentam ser reais.

Tessa: Phil ouviu muitas histórias de seu avô, que lutou contra os nativos americanos no final de 1800. Phil tinha grande respeito por nativos americanos e suas tradições, embora ele não fosse nativo americano. Phil acreditava que tinha um guia espiritual, e que seu espírito-guia era um antigo xamã nativo americano. Sou parte Cheroke e as pessoas que conhecem rostos, me dizem que sou nativo americana, apenas olhando para minha cara, embora a maioria das pessoas nem sequer pensem nisso.





Tessa: Eu estou contente de ver que Phil está finalmente recebendo a atenção de alguns que ele merecia. Pena que não o conseguiu durante sua vida.

Pergunta: O filme "Blade Runner", do livro 'Do androids Dream of electric Sheep?' e todo o legado de PKD, são uma referência com a qual a melhor Ficção Científica será comparada por um longo tempo.

Tessa: Fico feliz de ver que Hollywood começa a levar Phil a sério. "Blade Runner"(O Caçador de Andróides) deveria abordar um lado escuro de Phil, mas faltou profundidade e espiritualidade. "Total Recall" (O Vingador do Futuro) tinha o seu senso de humor, mas faltou as questões filosóficas que Phil explorava em sua escrita. "Screamers" nem sequer tentou. Eu tinha grandes esperanças para o "Impostor", mas não foi bom...Chris me levou para ver Minority Report ... foi a segunda vez que Chris viu... e nós ficamos bem impressionados. A primeira vez que Chris viu, ele estava de ressaca e não tinha dormido por três dias, e ele não gostou, mas na segunda, sóbrio e depois de ter dormido bem, ele gostou mais do que eu. O que mais me impressionou foi que o público estava quieto, atento e respeitoso ... não é um fenômeno comum em um cinema americano.

Pergunta: Vi "Impostor" e "Minority Report"... Na verdade, eu não quis saber das resenhas. Encarei "Impostor" como um conto ...Entrei com isso em mente ... uma história curta de um autor de  primeira linha, escrita em 1951, creio eu, pouco tempo depois da Idade de Ouro da FC... um período maravilhoso com gente como Beaumont, Serling, Bradbury, Bloch, Del Rey, uma lista grande demais para sequer tentar enumerar aqui...

Tessa: "Total Recall"... as pessoas na platéia foram fisgadas no minuto e mque as portas foram abertas, só tinham os efeitos especiais para seus olhos, e no fim, onde se abraçam e se beijam. E Marte ... hey, eles poderiam estar certo sobre o vulcão cheio de água ... vocês viram no site da NASA? Mas você deveria ter visto "Blade Runner" antes de David Peoples fazer sua mágica com o roteiro e eles terem refilmado algumas cenas. Ridley Scott disse para Phil que não seria mais um filme de efeitos especiais. Não? Nada mais do que as ruas de San Francisco transplantadas para Los Angeles... nem era uma boa história de Raymond Chandler, era apenas tiros e mais tiros. Rutger Hauer estava excelente. Eu também gostei dele em Lady Hawke (Feitiço de Áquila). Bem, tenho que dizer. "Blade Runner" deixou de fora o melhor do livro - as caixas de Mercer. Uma espécie de sexo por telefone com algo a mais ... você realmente precisa experimentá-la, ao invés de falar sobre elas... e depois Mercer aparece em suas visões e diz para eles para proteger os animais e a vida.

Pergunta: Eu tinha esquecido das caixas Mercer... li o livro faz tempo ... me lembra 'Brave New World'... tenho a sensação de que poderia ser feito um outro filme a partir disso, com Tom Cruise... se alguém jogasse as cartas certas, uma abordagem Tom Cruise (sacrilégio!), um remake de BR usando as caixas de Mercer. Ao mesmo tempo lembro que Ridley Scott teve problemas intermináveis com o financiamento para o filme. Independentemente de suas falhas, é um milagre que tenho sido feito, e obviamente será um cult movie  eterno. Eu tenho tanto a versão comercial quanto a do diretor em DVD.

Tessa: Bem, O "Blade Runner de Philip K. Dick", poderia ser melhor do que o "Frankenstein de Mary Shelley" ou o "Drácula de Bram Stoker". Coppola seria o único que poderia fazê-lo, não acha? A obra de PKD é muito mais popular agora, desde que Tom Cruise fez a turnê de divulgação... ele é um grande fã, sabia?

Pergunta: Eu gostaria de saber se há qualquer plano para filmar o trabalho não-FC de Dick, como 'Confessions of a crap artist'. Ou se existem planos para filmar 'Ubik' ou 'O Homem do Castelo Alto' (ambos FC e muito conhecidos).

Tessa: Tanto quanto eu sei, o único filme novo é 'A Scanner Darkly', pela Warner Bros, que será dirigido por George Clooney.

Pergunta: O que acontece com a FC de Dick para servir tão bem para os produtores de Hollywood?

Tessa: Os personagens são bem redondos, facilita para os atores. A visão do futuro de Phil dá aos produtores a confiança de que suas obras vão se tornar grandes filmes com grandes idéias, e não apenas algo descartável, ou filmes que fazem você sentir-se bem.

Pergunta: E Minority Report?

Tessa: Minority Report se baseia em idéias do seu trabalho como um todo, apresentando uma visão holística da visão paranóica que o perseguia. O roteirista interpretou corretamente a sua visão filosófica, como um conto preventivo sobre o pesadelo que está esperando por nós, se escolhermos segurança ao invés de liberdade.

Pergunta: De todas as obras adaptadas para o cinema... "Blade Runner", "O Vingador do Futuro", "Impostor", "Minority Report"... qual foi a mais fiel ao espírito de Dick? E quais foram menos?

Tessa: "Minority Report" é a mais fiel. "Screamers" continua sendo o menos fiel ... me faz lembrar um antigo filme B no mesmo gênero como "O Homem do Planeta X".

Pergunta: Porque você acha que os títulos originais de Dick raramente são utilizados? Ou seja, "Blade Runner" ao invés de "Do Androids..." ou "Total Recall" ao invés de "We Can Remember It For You Wholesale"?

Tessa: Na verdade os livros raramente possuem os títulos originais de Phil, os editores geralmente escolhiam novos títulos depois de lerem seus manuscritos. Phil muitas vezes comentou que ele não poderia escrever bons títulos. Se pudesse teria sido um escritor de publicidade, em vez de romancista.

Pergunta: Os efeitos especiais... ajudam ou prejudicam? Qual você acha que teria sido a adaptação favorita do autor, independentemente de fidelidade ao seu trabalho? E por quê?

Tessa: Efeitos especiais prendem a atenção do público, trazem mais jovens ao cinema. Phil teria gostado de "Minority Report" mais do que dos outros, principalmente porque se passa em Washington, DC, onde passou os anos mais felizes de sua infância. Além disso o herói vence pelo intelecto e não pela aptidão física.

Pergunta: Muito do trabalho de Dick parece ser sobre o conceito de identidade, e o que é identidade. Você acha que "Minority" captura esta noção? Mais do que os outros?

Tessa: "Blade Runner" e "Minority Report" mostram a preocupação de Phil sobre o que faz de nós seres humanos, criaturas morais. Os outros filmes não atingem esse objetivo. "Screamers"  prometia uma exploração destes conceitos, mas foi um clone de filmes B, voltados para 'a critaura', como "A Noite dos Mortos Vivos" ou "The Creature from 20,000 Fathoms". Fiquei decepcionada com esse filme.


Entrevistas com a viúva de Philip K. Dick e seus filhos Chris Dick e Ranea Dick.concedida a Annie Knight (Deep Outside) e a John T. Cullen, AL Sirois e John K. Muir.